Cozinhando Sempre Bela na Rio2016


Diário da Nalu 28.dez.16 Nenhum Comentário

Cheguei!!! Tudo bem com vocês? Há tantas doçuras rolando aqui no Cozinhando Sempre Bela quem em breve compartilharei vocês. Somente agora pude falar com vocês, meu contrato encerrou no fim de setembro e quero contar tudo que vivi nas Olimpíadas e Paralimpíadas Rio 2016.

Desde que iniciei a faculdade, meu sonho sempre foi trabalhar nas Olimpíadas. Em junho deste ano fui contratada para trabalhar na cozinha dos atletas durante o evento.Fiquei muito feliz, graças a Deus realizei o meu sonho.Calma! Era apenas o começo de tudo que ainda está por vir.Esse foi meu primeiro emprego assinado na carteira, não tenho a menor vergonha e nenhum motivo para esconder isso.Sempre respeitei meu tempo e acredito que tudo acontece quando tem que acontecer.Entendeu? rs

Desde a assinatura de contrato, pegar a credencial, passar pelo uniforme, ir no RH e encontrar a onde ia trabalhar, foi um grande aprendizado. Já na fila do uniforme estava conversando e a minha futura (ex)chef que me chamou para ficar na cozinha Halal. Graças aos temperos indianos, consegui minha vaga nessa cozinha maravilhosa.

Fui recepcionada pelo chef Felipe que me apresentou todo o funcionamento da cozinha e a minha função.Conheci também a Day,Dai,Carla,Joselito,Pina,Leo,Mari,Wal,Regina, Luciano,Gabi,Gabi e Junior, entre os demais dos outros turnos que não me recordo o nome mas que de alguma forma aprendi com eles. Ah! Que saudades dos nossos almoços,jantares,nossas conversas e principalmente a nossa correria. Obs: Pra quem não sabe, praticávamos maratona todos os dias. rsrs

Sou muito grata a Sapore pela confiança e a oportunidade única de fazer parte dessa história num evento como esse. É muito bom ver a evolução da Analu que entrou para a que saiu. Digo que nas Olimpíadas aprendi a vencer meus medos e minhas inseguranças, me refiro aos questionamentos de quem nunca trabalhou. Será que vou conseguir? Será que vão gostar de mim? Fiz certo? Nossa! Aprendi com os erros, troquei conhecimento, amadureci e ganhei amizades maravilhosas. Nas paralimpíadas aprendi a superar meus limites, parei de me questionar. Eu via os paratletas e pensava se ele pode eu também posso. Desde então não me imponho limites e sim metas. Como mudei, que orgulho!

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, área interna e comida

Sinto saudades do sorriso e da gratidão dos atletas, ver aqueles rostos expressarem tamanha satisfação pela excelente comida não tem preço.Sinto falta dos amigos que fiz, da correria na cozinha, a corrida contra o tempo para chegar na hora certa no trabalho, dos ônibus lotados de torcedores e turistas… tantas recordações que só se traduzem em saudade.Ver todos indo embora, confesso que chorei, de saudade e gratidão a Deus pela oportunidade que vivi. Só tenho a dizer: Obrigada Deus!

Comentários

Escreva um Comentário

Seu email não será publicado ou compartilhado. Os itens com * são obrigatórios (:



Ana Luíza

Ana Luíza

Cozinho para a felicidade, sou Ana Luíza Beniz. Carioca, Cozinheira, Confeiteira e Blogueira de Gastronomia.